Pedofilia X Estupro X Incesto

15/03/2010
Estou  pensando aqui nos noticiários de “Caça aos pedófilos” e resolvi falar sobre um assunto que me incomoda e preocupa muito. Não observem a gramática ou coisas assim, vai direto, sem revisão ok? Beijos.

Muitas vezes temos o problema dentro de nossas famílias que costumam esconder o fato.

Quando eu tinha 4 ou 5 anos fui estuprada por um tio, irmão do meu pai. Minha mãe trabalhava o dia todo, e estudava a noite. Muitas vezes este tio é que ficava “cuidando” da gente. Ele era a pessoa mais “boazinha” do mundo, de confiança mesmo.

Sempre fui muito esperta e todos falam que era muito bonitinha... loirinha, fofa, alegre, cabelinhos cacheados.  Não lembro detalhes porque era muito pequena e também deletei da minha mente o que pôde ser deletado.

Mas nunca esqueci o dia em que ele me puxou, tirou minha roupa e me estuprou, pior, ainda colocou o pênis dele na minha boca.... Ele falou que se eu contasse pra alguém iria matar meus pais e  meus irmãos. Acho que contei pra minha mãe mas ela achou que era invenção da minha cabeça pois eu era muito inteligente. Ou preferiu talvez achar que criança esquece tudo.

Bom, inventei um mundinho “cor-de-rosa” e sobrevivi sozinha. Mas me tornei irritadiça, desconfiada, neurótica. Não deixava minha irmã caçula ir no colo de ninguém. Cresci com tantas dúvidas, dentre elas se era virgem, pois na década de 80 isto ainda era importante, mas depois descobri que a “tão propagada virgindade” estava não num hímem, mas no meu comportamento, no meu sentir...

Segui minha infância normalmente, no interior, brincando na rua, subindo em árvores, acreditando em Papai Noel. Mas nunca mais gostei de pessoas boazinhas demais. Gostava de pessoas que perdiam o controle de vez em quando.

Este estupro/incesto afetou muito a minha personalidade, não conseguia ter meio termo. Ou amava ou odiava. Deixava isto muito claro, o que causou muitos conflitos entre eu e minha mãe que não gostava do meu comportamento. Achava que eu não devia “abraçar e beijar um e pular o outro”. Mas eu tentava explicar que só beijava e abraçava quem eu gostava...rssss. Coisas de Nádia sagitariana...

Nunca deixei minhas filhas irem no colo de nenhum homem, só do meu pai e do meu  irmão, isto porque nunca percebi nenhuma atitude ou gestos suspeitos e nem dormir na casa de amiguinhas. Oras, como poderia se quando criança não podia dormir na casa de alguma amiga da minha mãe qdo ela precisava ficar fora. Sempre acordava no meio da noite com os maridos delas em cima de mim, no escuro... Cresci com u olho no peixe e outro no gato. Neurótica mesmo. Defeito? Nem sei mas adooooro ser neurótica quando o assunto é esse.

Vocês nem imagina o que eu sentia quando meu pai falava desse tio com tanto amor, falando que ele era tão bom, que era um sonhado... Pensava: “O paizinho, como vc é tolo e bom...” Ficava até comovida. Meu pai era uma pessoa muito simples, de  fazenda, humilde, brincalhão. Eu era louca alucinada por ele. Nunca quis falar nada pra não deixá-lo triste, ainda mais que eu era a filha que ele amava e defendia tanto... Acho que ele mataria meu tio, ou sei lá o que...

Sabe quando uma pessoa odeia a outra e deseja todo o mal do mundo pra essa pessoa? Foi assim com o meu tio... Um dia, ele veio do sítio dele em Rondônia e adivinha quem é que teve que levá-lo ao médico e acompanhá-lo em exames e tudo o mais? Eu. Nesses momentos pensava comigo mesma: “E Deus, que peça é esta que você está me pregando?” Resolvi olhar atentamente praquele “pobre diabo” e descobri que não sentia mais ódio dele, sentia pena. Nesse dia percebi que meu coração estava mais tranqüilo, e que conseguiria não só amar ou odiar. Aprendi a tolerar e foi uma boa sensação. Fiquei mais leve.

Continuo não gostando dele, mas mora longe, que fique por lá....

Passei anos sem tocar nesse assunto pra que meu pai nunca soubesse. Ele era muito doente e meu amor por ele era maior que qualquer coisa. Mas depois que ele se foi, um dia contei pro meu irmão e pra minha tia, irmã dele. Ficaram chocados e conseguiram  entender tantas facetas do meu jeitão de ser. Perderam o respeito pelo meu tio... Não fiquei feliz, mas aliviada. Tirei um peso que carreguei por quase 40 anos.

Continuo neurótica e desconfiada. Não gosto de ver tios muito íntimos e pegajosos com seus sobrinhos crianças. Até mesmo alguns pais que ficam dando beijinhos, se esfregando nas filhas e nos filhos também. Já me chamaram de doente..rsss mas prefiro ser assim, pois adoeceria mais ainda se acontecesse algo com meus filhos, sobrinhos que são mais próximos a mim.

Vou contar uma coisa. Um estupro marca por toda uma vida. Me atrapalhou a crescer, não gostar muito de "pessoas grandes", sérias demais, enfim... Tem que ter muito “menininha interior” pra se tornar uma pessoa leve e com coração aberto. É por isso que amo tanto a minha menininha interior, pois foi com os óculos de lentes cor-de-rosa choque que sobrevivi a um estupro/incesto.

Preservá-la e mimá-la não me torna um ser infantil e irresponsável, mas ela me permitiu ter hoje fundo musical, riso aberto e coração grandão....

Espero que ao ler isto, você que tem filhos ou crianças próximas, preste atenção nas pessoas “boazinhas” que os cercam. Pode ser que muitos têm o problema dentro de casa e não sabem. Não estou aqui generalizando, mas alertando.

Se seus filhos fizerem qualquer tipo de comentário sobre este assunto, por menor que seja, dê atenção e, principalmente, acredite nela. Não precisa falar isto na frente delas para que não inventem fatos, pois as crianças estão muito atentas e sabem muitas coisas.

Bom, era isso. E este blog foi feito pra homenagear minha “menininha interior” que é meu grande presente de Deus e que me permitiu descobrir ainda cedo que ser feliz é tão mais fácil. 

Beijos.




21 comentários:

Helinha disse...

Minha linda e doce amora...

Qualquer tipo de agressão feita com crianças me dói até a alma!

Não me conformo com isso... mesmo sabendo que acontece todo dia, que está acontecendo agora, que pode estar acontecendo aqui pertinho... me dói demais...

Porque sei que, por mais que as pessoas consigam superar os traumas, passam por um sofrimento que não mereciam nem precisavam passar...

Sofri uma tentativa de estupro e um assédio sexual (assédio MESMO!)quando estava na universidade e morava no alojamento feminino, por duas pessoas diferentes... Na tentativa de estupro consegui bater o joelho na pessoa (imagine onde...) e escapar, mas foi muito traumatizante...

Então fico imaginando a sua situação...

Mas você é uma pessoa tão maravilhosa, ne, amiga... e se tornou essa linda mulher, que hoje vemos aí!!

Sei que não deve ser fácil desenterrar essa história e expô-la aqui...

Parabéns pela pessoa especial e vitoriosa que você é!!

Te adoro muitão!!

Beijos, linda!!

^^

ymara disse...

Bom...é claro que estou chocada...mais por saber que as pessoas podem sobreviver a isto..coisa que eu tinha certeza que nao..Nem imagino o que seja carregar pela vida a fora algo deste porte..e ainda manter viva a "menininha"..Salve.. Tiro meu chapeu pra vc..
Paz e muita luz minha linda!

nadiavida disse...

Helinha e Ymara, obrigada mesmo pelo cafunezinho que adooooooro receber. Faz um tempão que estava querendo escrever sobre o assunto, de maneira elaborada, e coisa e tal...Mas não combina mto comigo não. Tem que ser assim, sem coordenar mtos pensamentos e palavras... Qdo digo que sou a favor de penas duras e verdadeiras para estes crimes, principalmente pedofilia, me acham exagerada... Superei, mas não esqueci. Não acho que esteja me expondo pq sou muito mulher e não é qualquer bobagem que me abala não...Não sou uma coitadinha como alguns possam pensar. Sou como diz uma amigo: "pego a onça com as unhas" rsss. Viro leoa qdo precisa... acreditem.

Amores do meu coração. Obrigada pelo carinho. Bjo grandão e abraço bem "apertadim.."

AprendizagemCriativa disse...

Minha querida,

Sempre me choco com relatos assim. Não me conformo com pessoas que são capazes de tal atrocidade com uma criança inocente. Para mim, não há desculpa nenhuma que suavize esta crueldade.

Vc é uma guerreira, primeiro por ter superado, só Deus sabe como, este episódio e fazer da sua vida algo belo. Segundo, por ter a coragem de tornar isso público para servir de alerta e exemplo.

Tenho muito orgulho de te conhecer!!

Beijos, minha linda

Graça (DoBem_News)

Tarcísio Passos (São Luís - MA) disse...

Quando sou levado a um texto, por indicação, sempre acredito que esta não vem por acaso.
Sempre achei que as coisas nunca vêm por acaso.
O teu texto, antes de lê-lo, dava-me a impressão de um texto técnico.
Para minha surpresa felicidade, ele não é.
Ao contrário, é como se estivéssemos lendo um diário, guardado por anos.. uma abertura de livro que impressiona.
Tenho um filho de 3 anos (Igor Roberto) e o amo, assim como amo os meus sobrinhos (tenho cinco: o mais velho com 6 anos).
Nem imagino o que eu seria capaz de fazer se algo assim acontecesse com um deles.
As vezes, acreditamos que é melhor nem pensar neste assunto.
Mas a vida, mesmo traduzida em textos assim como o teu, nos mostra que olhos atentos e conversas "sérias" com os nossos meninos não são apenas necessárias, elas são fundamentais.
A gente tem tanto medo de generalizar...
Mas a vida nos ensina que só há duas maneiras de aprendizado:
1 - Se aprende com aquilo que vivenciamos, com a nossa própria experiência;
2 - Se aprende com aquilo que é vivenciado pelos outros.
Muito bom o teu texto.
Bem maior que um bom texto (mesmo com a sua preocupação estilista, literária e gramatical), ele é uma maneira delicada e cheia de sentimentos para nunca deixar de "desconfiar sempre".
Que a vida te traga mais felicidades sempre.
Obrigado pelo presente do texto.
Beijos, sucesso e paz!

tarcisiopassos@hotmail.com

TRISTÃO disse...

Querida Nadia.

Admiro sua coragem e agradeço, pois seu depoimento contribui para fortalecer a nossa atitude de manter combate constante a êsse mal.
A sociedade não pode deixar sómente a cargo da policia, da justiça e do governo a solução do problema.
Sem neuras, mas as familias devem cuidar e vigiar discreta e silenciosamente, os filhos, sobrinhos e netos.
Cuidado redobrado com as crianças, adolescentes e mulheres de qualquer idade, pois êsse "inimigo" pode estar mais perto do que se imagina e ser bem dissimulado.
Sua coragem incentiva a que mais vitimas, ou pais delas, resolvam enfrentar o problema, sem cometer injustiças, com inteligencia e dignidade.
Infelizmente a cultura machista ainda é um entrave sério a um maior respeito a dignidade da mulher.
Hoje você é vitoriosa, mas pagou um custo altissimo. Teve que se reprimir para não abalar o amor filial. Como sou pai, sinto um calafrio ao imaginar que minha filha poderia estar sofrendo, carregando um peso insuportavel por me amar.
Você já era especial no meu twitter, agora ganhou mais uma estrelinha.

Beijo no seu coração

Paulo

ValériaC disse...

Nadia minha flor amiga...muito triste o que te aconteceu e você é de uma fibra incrível por contar sua história, para que sirva de alerta para todos nós.
Querida só posso te admirar como ser humano, como mulher que sofreu o que sofreu, mas superou...cresceu e seguiu sua vida em frente. Estamos todos nessa vida para sempre superar seja o que for...a dor te fez forte... te deu Luz...
Beijos querida... Valéria

LUQUE RONALD disse...

Nádia,
Vc é uma pessoa muito forte, especial e muito linda em todos os sentidos. Por tudo que passou vc ainda teve capacidade de se erguer, o que não é pra qualquer um. Fez bem, com muita coragem e dignidade em dar esse grito de alerta.
Não tenho filhos pequenos, mas tenho netas e estou sempre atento e me situando sobre esse mal.
Te admiro cada vez mais.Te adoro querida e verdadeira amiga.
Bjius mil com o maior carinho do mundo

lala.com disse...

Parabéns.
Parabéns pela coragem de dizer, seria bom até ter feito isso na infancia, mas sei q não poderia.
Não sei se tem marido ou namorado, se tiver parabéns pra ele q aceitou algo assim, afinal n eh qq um q aceita. Se estiver sozinha melhor ainda.
Nossas crianças interiores sempre nos salvam de coisas muito ruins. Elas não sofrem muito, logo sorriem novamente e nos ensinam a eskecer de forma pura.
Bjos kerida e siga em frente.
Vc nunca estará sozinha nessa.

Zimara Oliveira Xavier disse...

Crimes dessa natureza sempre me assustaram... sou professora da educação infantil e prezo os meus alunos como se fossem os meus filhos! Esse seu testemunho é mais que um alerta para os pais e dá força de vontade para muitas pessoas que infelizmente sofreram abuso sexual! Parabenizo a sua coragem em partilhar um assunto tão delicado e tão intimo seu! Beijos!

Selma Palenzuela disse...

Mamyssss..ao ler o seu texto "a história da sua vida" passo a entender a proteção com a qual vc me cercou no twitter! agora entendo todo o amor que vc tem no seu coração. Sobre o fato em si...esqueça!! É melhor mesmo...pq o seu tio...esse aí...ahhh...nao desejando mal para ele...mas o que é dele está guardado faz tempo. Minhas amigas passaram pela mesma situação com o pai delas, e este, era como um pai pra mim. Eu sei o que é ninguém acreditar...depois julgar...e depois pisar. Graças a Deus, hoje minhas amigas estão todas muito bem formadas, porém, lutam na Justiça para condenar o pai. A mãe delas não acreditava nelas. Só acreditou...quando elas já eram adultas e desabafaram com um pastor. Eu desejo do fundo do meu coração, que Deus abençoe muito a sua vidinha...que ela continue sendo cor-de-rosa...e que você seja muito feliz! No que depender da sua amiga e filha aqui...será! TE AMOOOOOO MAMYSSSSS... e continue de olhos bem abertos com as crianças q te cercam...pq os tarados e pedófilos, estão a solta! Tenho certeza que a sua coragem irá ajudar muitas adolescentes que entram no twiterrr!!! 1.0000.0000 de beijinhusssss !!! love u ♥

Sergio disse...

Nádia, estamos te esperando para comer caqui, está na época. Vem logo, sô!
Beijos.

Marcia Bispo disse...

Olá querida!
estou, realmente, muito emocionada e orgulhosa dessa sua capacidade de não se deixar sucumbir perante à tal babárie. Isso não se faz com um adulto, quanto mais com uma criança.
Parabéns a você por essa prova de grandeza espiritual e pessoal. você é iluminada, que siga assim. Poucos fariam o que você fez, perdoar.
Grande Beijo

Maria Amora disse...

Minha menina!
Quero te dar carinho e te valorizar o máximo possível. Corajosa, linda, mulher de verdade e agora conta sua experiência para nos engrandecer.
Parabéns, você é uma vitoriosa e tenho muito orgulho de mulheres assim. Também sofri abuso sexual quando menina e sei como isso é sofrido vida afora.
Porém somos vencedoras e mulheres de valor. Não é atoa que vc é a NadiaVida.
Beijos e carinhos

nadiavida disse...

Que delícia ter tantas pessoas preciosas por aqui... Quanto dengo recebido, quero poder retribuir à altura.... Meus amigos, obrigada! Deixo um mar de amor a cada um de vocês. Bjo grandão!

Luciana disse...

Oi amore!
Acabei de ler sua postagem e mesmo depois de tanto já conversarmos sobre isso, fiquei com nuvens nos olhos...

Mas o que me emociona, é ser amiga de uma pessoinha tão corajosa e linda como você! Que tem tanto amor pra distribuir e tanto a ensinar pra todos nós!

Não preciso dizer que te amo!!!!
Beijos com saudade!

O Gentileza disse...

Deus te carregou no colo amada!
Ele vai curar suas feridas..
Parabéns pela coragem de escrever..

Paula Bruce disse...

Nossa, meu coração sangrou! Na verdade eu nunca havia sentido alguém de perto. E senti vocêe. Caramba, Deus te acompanhe na sua vida. Você é uma guerreira, que desde pequena vence muitas batalhas! Beijos e não perca isso, de escrever com o coração! ;-)

Anônimo disse...

oi, isso também já aconteceu comigo e eu não entendo até hoje pq minha mãe não denunciou, e nem vou saber, pq as unicas pessoas que sabiam ja faleceram minha mãe e minha tia, aliais foi meu primo filho dessa minha tia que fez isso comigo, e pode ter certeza que até hoje eu tenho medo com qualquer pessoa que vem com segundas intenções!!!
tchau !!!
beijoss!!!

nadiavida disse...

Minha querida "Anônima" rss Não sei quantos anos vc tinha, mas hoje entendo minha mãe. É cultural e ainda bem que isto de não denunciar está diminuindo. Cresci achando que minha mãe amava mais os outros filhos, mas com o tempo e com certa dificuldade compreendi pq as mães agiam assim. Achavam que as crianças esquecem, querem evitar conflitos em família e sentiam vergonha, medo de serem julgadas... Hoje falo sobre o assunto abertamente e com coração tranquilo. O medo que eu sentia era deixar meu pai triste, agora nada mais me cala. Mas uma das piores sensações é ter que ficar calada e ainda ser a culpada da história. Querendo colo, tô por aqui. Bjus criança!

Unknown disse...

Também passei por isso..um tio também...mas recalquei a maior parte dos episódios.
Não consegui chegar a esse nivel de desprendimento e evolução ainda.
Fui abusada sexualmente, semanalmente, por PELO MENOS 8 anos. Debaixo dos olhos da familia inteira e ninguem nunca percebeu. Só vim q falar quando ja tinha 18 anos. E nestes 5 anos q se passaram desde que tudo veio a tona, eu só tenho NOJO daquele desgraçado, e desejo que ele morra, LOGO! Nao precisa nem sofrer, um tiro na testa na estava ótimo, só quero que ele MORRA. Porque só assim ele vai dar um pouquinho de paz pra mim e pra minha família toda. Sem contar que só assim ele vai parar de estuprar criancinhas por aí e estragar a vida de tanta gente.
Mas olha...to admirada com a sua capacidade de transcender essas coisas! Parabéns! MESMO!