12 de jun de 2010

FRAGMENTOS DE UMA CARTA DE AMOR

Dia dos namorados, folheando minhas velhas agendinhas, encontro várias anotações e cartas de amor, escritos há muito tempo... Não tenho mágoas de ninguém, boas lembranças de um amor tão puro que sentia... Noossa !!!!Tempo demais dedicado a uma só pessoa.... Começo a achar que os romances precisam ter prazo de validade pra gente ir se acostumando com a ausência.... Vou postar aqui alguns trechos de uma carta escrita em e 1994, creio eu....

“Tristes dias sem você. Uma solidão tão grande e aquela imensa sensação de vazio. Tudo se foi, tudo terminou. Por onde ando eu? As idéias se confundem, só tenho a certeza do vazio. Um vazio enorme, que me engole e me digere lentamente, como se o prazer fosse a metabolização lenta e sem fim... Não vejo a luz do túnel, ele parece imenso e infinitoSão tantas perguntas sem respostas, tanto inconformismo sem esperanças, tanta vontade de andar, sem ter nem saber para onde ir.Parece que tudo parou, a vida parou e o último suspiro é penoso e imortal. Sei o que quero, porque quero e onde está o meu querer. É como se um abismo enorme me separasse dos meus objetivos e eu não soubesse onde está a ponte ou até mesmo a “corda bamba” para transpor esse abismo. O grande abismo do desamor. É como se o “poder ser feliz” fosse um licor dos Deuses: nenhum mortal poderá jamais bebê-lo. Nossa vida se resume numa eterna tentativa de descobrirmos o elixir da imortalidade, para podermos, quem sabe um dia, sermos “eternamente felizes
Não tenhas medo do meu ser, do meu amor. Muitas pessoas têm uma imagem de mim do tipo “menininha maluquinha”, talvez eu seja um pouco de tudo. Sou uma caixinha de surpresas, cheia de sonhos, encantamentos, loucuras, inconsequencias, sensatez, paixão pela vida. Enfim, tenho dentro de mim uma menininha linda, que tento a todo custo, preservá-la de tudo, gosto de mantê-la mimada e feliz, para poder com sua força deixar acesa a vontade pela vida. Nem sempre sei se o que faço está correto. Mas o que é o certo afinal??? Pra mim o que importa é o estarmos bem, e isto independe do que somos e do que possuímos...”

Dediquei por 18 anos todos os mais nobres sentimentos a este amor... Generosidade, carinho, atenção, pensamentos positivos, orações, pedidos de cura, amizade, e muitas saudades... Foi bom, me dava alegria de alma, mas aprendi com a frase que parece um chavão: "Nâo trate com prioridade, quem te trata como opção".... Mas amar sempre vale a pena. Só não podemos deixar que esse amor consuma toda sua boa energia... Só se houver uma troca... Pois é muito cômodo ganhar toda atenção sem ter que dar nada... Amar praticamente sozinha não é um bom negócio.... Mas hoje estou totalmente curada.... E adoro me apaixonar, mas não levo a sério não... Será que não???? Tanto tempo depois, a pessoa que vier ao meu encontro tem que ser muito especial, não quero menos que isso... Mas por favor, deixe-me sempre livre e me terás por muito tempo ao seu lado..

11 comentários: